De 13 de Maio de 2006 a 31 de Dezembro de 2012, o meu primeiro blog

//Subscrever

Posts

Sábado, 25 de Julho de 2009

Foi a "Noite da Terra", uma mostra do que pode ser transversal e unir-nos, antes e depois das origens, da cultura, do estatuto social, das opções políticas. Os lugares, as freguesias, desceram às ruas da Vila, em forma de romaria, a pretexto de um Santo, de uma Tradição, afinal recente. A véspera do Santiago é "a noite". Uma noite que prescinde de actores pagos, de animadores e de espectadores ensonados porque os actores, os animadores e os espectadores somos nós. Tem lugar em recinto aberto, sem entrada nem saída, sem seguranças, sem horários nem esplanadas.

Temi que a política, este ano, estragasse a festa, com aproveitamentos escusados, mas a Tradição, que já não é o que era, cumpriu-se. Tapados pelos panos do palco, na avenida, estão dois "outdoors" gigantescos que, lidos na horizontal, nos dizem que "Agora, Mondim" é "Mondim, para todos". Não sou eu que o digo, são eles, os candidatos. Pelo menos, nesta "Noite da Terra", foi. É um bom augúrio.

JNobre às 10:20
|

Estou, uma vez mais, muito satisfeito por esta noite de bela Romaria. Cumpriu-se esta renovada tradição com brilho e alegria. Apesar de não ser um católico praticante, e porque em primeiro plano, é de uma manifestação religiosa que se trata é com elevada consideração que manifesto esta minha devoção por S.Tiago . A sua capacidade de juntar pessoas em plena harmonia e fraternidade não é obra do acaso.
Já o senti em Compostela e confirmo-o aqui. Acredito que ano após ano esta noite se vá transformando num caso sério de sucesso. Nos tempos que correm emoções como a alegria e a partilha da amizade tendem a ser privatizadas e canalizadas para o estrito convívio pessoal de cada um. Obviamente à nossa família e aos nossos amigos próximos. Pouco ou nada além destes. Ora bem, o sucesso da noite de S.Tiago em Mondim acontece precisamente porque nos relembra e redescobre nas nossas almas, demasiado cinzentas, que ainda há espaço para alguma felicidade tribal e com universal afinidade demonstrá-lo sem constrangimento . Sabe-me muito bem. A mim e a todos.
romano a 28 de Julho de 2009 às 23:25